MaxOpção Pousada dos Azevedo Damásio Dobrar ganho

Notícias


Técnica Pomodoro


Criado: 04/02/2019 - 10h32
Modificado: 04/02/2019 - 10h40

Pode ser que o seu desempenho nas provas esteja sendo impactado pela possível falta de gerenciamento do tempo ou que essa gestão esteja sendo deficiente.

Perceba que as constantes distrações como redes sociais e aplicativos de mensagens instantâneas, apesar de não ser tão fácil mensurar, geram uma perda de tempo enorme. Imagina ter essa falta de tempo durante um processo de preparação para concursos.

O que é a Técnica Pomodoro?

É uma ferramenta utilizada no gerenciamento de tempo que permite aos seus adeptos dividirem grandes tarefas em pequenas subtarefas, com o intuito de se concentrarem, especificamente, em cada uma delas por um pequeno período de tempo.

Na verdade, o objetivo principal da técnica é preparar seu cérebro para se concentrar em uma subtarefa que precisa ser concluída, e empurrar as distrações para um momento posterior, a fim de que sejam melhor tratadas.

A técnica foi desenvolvida na década de 1980, pelo, então, programador italiano, Francesco Cirillo (esse menino tinha que ser da informática). A descoberta ocorreu quando ele tentava achar maneiras de aumentar sua produtividade e chegou a concluir que fazer pausas curtas em intervalos frequentes aumentava consideravelmente a sua concentração, tanto no trabalho quanto nos estudos.



Por que o cidadão chamou de Pomodoro?

O nome veio do dispositivo temporizador, um alarme em forma de tomate, que ele usou para acompanhar a duração dos ciclos de trabalho e a respectiva pausa programada.

Tomate em italiano é: pomodoro.

Como funciona essa técnica?

A técnica é muito simples e envolve apenas cinco passos, que vou explicar contextualizando-os para os concursos públicos. São eles:

  1. Escolha uma tarefa ou conjuntos de tarefas a serem cumpridas. Aqui já se percebe que se trata das atividades de estudo, tais como, assistir a videoaulas, ler a lei seca, resolver exercícios, revisar conteúdo, entre outras que precisam ser trabalhadas em pequenos blocos de tempo.
  2. Defina um dispositivo temporizador para lhe notificar após um período de 25 minutos. Não importa se é analógico ou digital, pode ser o alarme do relógio despertador da vovó ou até mesmo um aplicativo (app) específico para o celular, apenas procure aqueles apps que prezam por manter uma interface limpa e sem muitas firulas, tornando-os mais fáceis de fazer o Pomodoro tradicional ou o personalizado (já falo sobre isso).
  3. Agora concentre-se o máximo possível nos assuntos a serem estudados ou revisados, até que o alerta informe que se passaram os 25 minutos fornecidos. Nesse período, evite olhar o cronômetro continuamente, você não está em uma corrida contra o tempo, você está simplesmente tentando dividir seu material de estudo em partes menores e mais gerenciáveis – é só lembrar que você está em uma guerra, então é dividir para conquistar ­– nesse momento, procure evitar a distração, seja eficiente e focado.
  4. Ao soar o alarme, faça uma pequena pausa de 5 minutos. Essa é a hora de se mexer. Aproveite e vá ao banheiro ou reponha a sua água, quem sabe até belisque algo na cozinha, óbvio, para os que não estão de dieta. Evite ficar no mesmo lugar em que você está estudando, use a primeira Lei de Newton, aplique uma forcinha que te dê coragem para sair da inércia.
  5. Após 4 ciclos de Pomodoro, faça uma pausa maior de 15 a 20 minutos e repita o processo até que você conclua o ciclo de estudo que planejou!

Por exemplo, se você começar a estudar às 7h, seu ciclo ficará assim:

Resumindo, em aproximadamente duas horas, você, meu amigo concurseiro, terá estudado 100 minutos líquidos (4 Pomodoros de 25 minutos) e descansado por 35 minutos. Ao longo do tempo, perceberá como sua concentração e o seu desempenho estarão melhor.

Eu sou concurseiro! Essa resenha serve mesmo para mim?

Olha só, a técnica Pomodoro pode ajudar qualquer pessoa que tenha pouco tempo e queira otimizá-lo. Nesse caso, não deixa de ser a realidade de muitos concurseiros. O ponto forte de usar Pomodoros é ajudar na concentração de uma pessoa e mantê-la longe de distrações externas e internas. O fato de a pessoa estar constantemente focada em uma atividade específica por um longo período de tempo, ajuda, e muito, a elevar a produtividade para níveis ainda não percebidos antes de seu uso.

Já pensou que, sabendo o número de Pomodoros ou blocos de 25 minutos completados por você, isso te ajuda a ter uma percepção de controle do seu tempo?

Assim, você pode mensurar o quanto de assuntos podem ser estudados em um período de 25 minutos e planejar seu dia com mais efetividade, ou seja, as demandas maiores que estão alinhadas com seus objetivos – “matar um edital” por exemplo –, de repente, serão mais fáceis de organizar durante o dia e ao longo da semana e com sensação de que será capaz de concluí-las. Então, se você está lidando com um projeto de preparação para concursos, dividi-lo em Pomodoros facilita a gestão e consequentemente o controle de sua execução.

Posso alterar o tempo de cada Pomodoro?

Meus amigos, como acontece com qualquer técnica ou metodologia, existem desvantagens e uma delas é que 25 minutos é pouco tempo para concluir uma tarefa e/ou encerrar uma linha de raciocínio quando se trata de estudar um material base para concursos. Vários alunos conseguem se concentrar por um período maior de tempo e interromper essa concentração em 25 minutos mais atrapalha do que ajuda.

Eu não vejo como uma desvantagem, pois você pode personalizar o Pomodoro para 50 minutos de ação e 10 minutos de descanso, ou como achar melhor.

Por fim, quero dizer que o mais importante é ter controle do seu tempo e saber que está estudando bem, mesmo com a falta dele. Se você tentar aplicá-la na sua rotina de estudos, poderá ter uma surpresa em termos de qualidade de retenção dos assuntos estudados.